Niao- Pássaro, ao longo dos tempos.

Os ideogramas vieram de um passado muito remoto, em que sacerdotes ou xamãs inscreviam ‘símbolos’ em cascos de tartaruga ou em ossos de animais. Isso era utilizado como oráculo. O sacerdote fazia a inscrição, para responder alguma questão, ou receber alguma dica, como em qualquer oráculo. Depois ele jogava os ossos no fogo, e eles rachavam. Após interpretar as rachaduras, ele obtinha respostas. Isso é conhecido como Oráculo de Ossos. 

Ao longo dos tempos, essa escrita foi sendo cada vez mais resumida (por motivos de técnicas de impressão, e o uso de tinta nanquim, que determinaram a grafia dos ideogramas), até chegarmos na forma de hoje (que mesmo sendo recente, tem quase dois mil anos). Estamos diante de uma história bem antiga, que tem quase 5.000 anos. Ou seja, o idioma teve bastante tempo para se adaptar e crescer. 

E aqui estamos nós. Em resumo, estamos estudando um idioma que nasceu da necessidade de comunicação de um povo não só entre humanos, mas com outros planos de existência. E a base era o desenho simplificado das coisas, como desenhos de criança.

Eu gosto de imaginar que a origem dos ideogramas está em marcas que desapareceram, como por exemplo quando uma pessoa tanta dizer algo para a outra escrevendo na areia. Nesse caso, o idioma remete a um passado tão remoto que fica impossível de traçar a sua origem.

Outro fator de desenvolvimento da escrita vem do fato de que a China é um país muito grande, e passou por inúmeras invasões, revoltas, guerras, e etc. Como o país levou tempo até se unificar, devia ser comum haver mal entendidos entre os diferentes dialetos (que não podem nem ser considerados sotaques, e sim quase como outros idiomas). Assim a escrita pictográfica devia ser uma forma de comunicação, para no mínimo nisso eles se entenderem. Dá até para imaginar duas pessoas discutindo, até uma se encher e fazer um desenho no chão, ou no que seja.

Como dá para ver no exemplo acima, aos poucos os ideogramas foram perdendo formas arredondadas. Acredito que isso se deu devido a métodos de impressão (como a impressão utilizando blocos de madeira). É mais fácil fazer a forma quadrada do que a redonda, ao se entalhar um desenho. Isso é uma especulação, mas faz sentido.

São inúmeros exemplos de ideogramas que poderiam ser mostrados para ilustrar a evolução, e aos poucos iremos desvendar isso.

Anúncios

Sempre ouvimos que o chinês é uma língua impossível, que tem que ser louco para aprender, ou que é necessário reencarnar como chinês para falar direito.

Tudo isso é verdade. Mas não quer dizer que isso não seja legal.

Ao  trocarmos impossível por desafiante, e aí a coisa muda de lugar. O chinês é sim complicado e tem as suas particularidades, mas isso não quer dizer que é um fim de mundo aprender.

A loucura é uma questão de ponto de vista. Para quem está ‘de fora’ da situação, tudo é meio louco. Quando estudamos chinês e começamos a falar um pouco, temos que adotar novas formas de pensamento, e para quem não está dentro disso, parece loucura. Você se acostuma.

É claro que não somos nativos, que o nosso chinês vai ter sotaque e que podem não nos entender. Mas e daí? Estamos aqui para nos divertir, não é?

Cinco motivos para quebrar a zica de que o chinês é algo extraterrestre (talvez um pouco):

1- O chinês nos permite ter contato com uma cultura antiga, mas que consegui se manter atualizada ao longo dos milênios;

2- Os ideogramas são lindos, e possuem uma história rica que nos permite entender novas formas de linguagem e de pensamento;

3- Passamos a ver o nosso próprio idioma com outros olhos, nos aprofundando no conhecimento de nossa  cultura;

4- Exercitamos outras áreas de cognição do nosso cérebro, ao ligar o som do ideograma com o seu desenho;

5- Descobrimos novos sons e entonações, que abrem caminhos para a nossa voz e percepção sonora.

Além de que depois dá para dizer “eu entendo chinês”, e se sentir bem por isso.

Vamos indo um passo de cada vez, e aos pouco ir quebrando alguns tabus.

ren (o ‘r’ é pronunciado com o ‘r’ de ‘obrigado’)

Começaremos com o ideograma ‘ren’. A figura foi mudando de posição, começando por uma pessoa em pé, para depois transformar-se em alguém caminhando. Ele é composto por dois traços apenas, sendo um dos ideogramas mais simples (e utilizado em outras palavras)

Bem vindo ao Chinês Legal, um site feito para quem quer aprender chinês de uma forma mais tranquila e intuitiva. Chega de ouvir dificuldades! Vamos ver como o chinês se desenvolveu, com ideogramas explicados; como montar frases e falar. Tudo passo a passo, e com desenho, pois sem desenhos não tem graça.